Dinheiros meus

Acho que  todos, quando mais novos, pensamos o que fazer com o dinheiro que não tínhamos. Por exemplo comprar aquela polly pocket que a Gina tinha e os vossos pais nunca vos deram, ou uma piscina de borracha, mesmo que não houvesse sitio para a pôr.

Sempre pensamos: "Quando for grande tiver o meu dinheiro compro isto".

E, depois crescemos e deixamos de pensar assim. Comprar uma mochila nova, pela qual nos apaixonamos? Nah, custa 30euros e nós ganhamos a 2.80 à hora. E, comprar uma piscina é parvoíce e já nem queremos uma polly pocket.

Ou, então não há tempo ou circunstâncias favoráveis à comprar, ou então, achamos tudo demasiado caro...

Porém hoje e para animar a minha mana (que teve intermédio de matemática) e a mim que estou (estava!) de folga e com gripe (e com uma alergia facial que se compõe por borbulhas raras e estranhas no queixo (coisa que me acontece sempre que tomo medicamentos mais fortes, vá se lá saber porquê! Além do mais, antibióticos fazem-me doer o estomago....)) fomos ao cinema e jantar fora (Hi MacDonald)!

E, descobri que é para isto que quero que o meu dinheiro sirva - para felicidade (e, sim, ainda preciso de um carro!). 

Por fim, ainda me lembrei quão gostei do Nómada quando o li (vejam o filme, vale a pena!) e que embora pobre, agora tenho uns trocos para mimar quem mais gosto.



publicado por Marina Ricardo às 01:57 | link do post | comentar | Adicionar aos Favoritos