Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]




Sotão

por Marina Ricardo, em 27.04.11

Tranquei as minhas portas.

Pus grades nas janelas. Reforcei as fechaduras.

Apaguei as luzes. Vendi os despojos.

Aluguei os sentimentos. Bloqueie as lágrimas. Prendi o medo na rua.

Comprei todo tempo do mundo, e ele trouxe a eterna solidão.

Continuo em arrumações permanentes no meu sótão, enquanto a vida espera pacientemente, lá fora.

Procuro o que já não existe, o que sombra roubou, o que, com o passar dos anos, se transformou em doce memória.

Mas, não desisto. Pois sei, que algures, me encontrarei.

 

 

 

publicado às 23:57

Perdida

por Marina Ricardo, em 22.04.11

Perdi-me.

Na imensidão da tua voz, na suavidade e mentira das tuas palavras.

 

Perdi-me.

De mim, em ti.

 

Perdi-me, vezes e vezes sem conta.

Por ti.

Ao tentar descobrir o teu amor, onde ele nunca existiu.

 

Perdi-me. E, quando pensei ter-me encontrado, voltei a perder-me.

 

 

 

 

 

 

publicado às 22:37

Pedra e Pena

por Marina Ricardo, em 19.04.11

Com teias no teto.

Com pedras no sapato.

Com macacos no sótão.

 

Perdida nos caminhos dos outros.

Adormecida nos velhos comboios sem destino.

Navegadora de marés vivas.

Vivendo as perfeitas e luminosas simetrias dos outros.

Pedaço, Retalho, Mancha, Livro, Página, Capítulo...

Nada... Todo...

 

Não Pedra. Apenas Humana. Simplesmente pena...

Suave e Dura. Brisa e Furacão. Grão de Areia e Deserto.

Nem Sim, nem Não... Talvez...

Uma e outra vez.

Sempre...


(foto da minha autoria)

 

 

 

PS - Este post serve para explicar um bocadinho o novo visual do blog (inteiramente criado/fotografado por mim) - uma espécie de auto-retrato de alguém que é uma pedra, mas, que no fundo, bem lá no fundo, é apenas uma pena...

publicado às 02:47

Conheci-o

por Marina Ricardo, em 17.04.11

Toquei as raias do desespero

Teci com as malhas da dor.

Fiei fios de lágrimas.

Tratei o sofrimento por tu, fomos os melhores amigos.

Bebi o medo.Sonhei a morte. Vivi o tormento.

 

Mas, foi lá que vi o amor na sua forma mais pura.

Foi, enquanto a guerra imperava, que descobri pela promeira vez que o amor era incondicional. Que nada mais importava e  que independemente de tudo, de todas as mágoas passadas, o amor impera, sobrevive, guia, aumenta, cura, alimenta, prolonga e propaga a vida.

 

Amor, foi um prazer conhecer-te.

 

publicado às 14:07

Pena

por Marina Ricardo, em 07.04.11

Mergulhei.

Silenciei.

Permaneci por entre a escuridão, na incerteza. Por lá, aqui.

 

Sentei.

Corri.

Cansei de esperar.

 

Fui tudo. Sou nada. Fui vazio, sou imensidão.

Fui minha, Sou de ninguém.

 

Voei.

Flutuei.

Alto.

Sou pena ao sabor do vento.

 

Mergulhei.

Continuo submersa.

 

 

 

 

publicado às 01:45


Mais sobre mim

foto do autor


Calendário

Abril 2011

D S T Q Q S S
12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930

Fotogrfias que vou instagramando




Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2013
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2012
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2011
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.