Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]




Á Descoberta de ....

por Marina Ricardo, em 31.01.12

olaOs Jogos da Fome, Livro 1

 

publicado às 17:47

Da Cozinha

por Marina Ricardo, em 31.01.12

Gosto de cozinhas. Do cheirinho de um bolo acabado de fazer.

Gosto de juntar farinha, ovos e açúcar e criar belas sobremesas. Gosto de ver a expectativa tomar conta de mim enquanto espero pela reacção de quem prova as minhas iguarias.

Gosto de tartes, queques, mousses e doces de ovos. Gosto de os confeccionar e de que os outros os comam, e sorriam.

Gosto de ter farinha no cabelo e açúcar colado à camisa.

Gosto da alegria que os fornos me dão, e gosto da felicidade e aconchego que a comida oferece…

 

(Foto da minha autoria: Tarte de Abóbora)

 

publicado às 00:07

Factos #7

por Marina Ricardo, em 30.01.12

A diferença entre eu e os outros:

Eles pensam, eu digo.

Eles são corpo, eu sou voz.


publicado às 19:47

Colisão

por Marina Ricardo, em 30.01.12

Um dia podemos colidir e fazer o mundo parar. Juntar as nossas existências e explodir como fogo-de-artifício.

O céu será nosso, e teremos o mundo na nossa mão.

Um dia seremos pó brilhante caído pela cidade. Abençoaremos os amantes e os tristes.

E juntos, cairemos nos terrenos, proliferando as nossas existências.

Um dia podemos colidir, tal qual fogo-de-artifício, e fazer o mundo parar.

 

publicado às 00:57

Tentações... #5

por Marina Ricardo, em 29.01.12

O tempo não perdoa.

Este ano, não foi o meu ano...

MAS, um dia, as minhas Lembranças estarão em cima das vossas mezinhas de cabeceira...

 

 

publicado às 23:37

A ver vamos…

por Marina Ricardo, em 29.01.12

Com mais, ou menos vontade, todos desejamos ser recordados. Desejamos deixar a nossa marca aqui, para que um dia todos saibam que existimos.

Desenterrar fósseis e desvendar o passado? Correr a maratona? Ganhar uma medalha olímpica? Prever o futuro?

Cada um na sua área, com a sua preferência e personalidade, quer deixar uma “pegada” no mundo.

Quanto a mim, nunca sobre bem onde queria estar. Num palco? Ouvir milhares de pessoas cantarem em coro uma das minhas músicas? Ouvir os aplausos da audiência, depois de me estriar no teatro?

Mas, e com muita pena minha, não conto, nem represento…

Passei horas e horas a supor. A divagar. O que eu deveria eu fazer realmente? O que eu gostaria de fazer toda a vida, o que me daria prazer…

E então, no meio de um processo sem precedentes, percebi que, acontecesse o que acontecesse, para onde quer que a vida me levasse, nunca queria passar um só dia sem escrever.

Quero ser recordada como aquela que escrevia. Aquela que lia mentes, amarava e tocava no coração com a sua escrita. É nas letras que eu quero fazer a diferença.

A ver vamos… 

publicado às 00:47

E assim se foram uns bons centímetros!

por Marina Ricardo, em 28.01.12

publicado às 19:37

Sabe bem...

por Marina Ricardo, em 28.01.12

Sabe bem terminar uma fase, acabar um capítulo com a certeza de que o nosso melhor fica retratado naquelas páginas que acabamos de escrever. Que os momentos da nossa glória ficam ali marcados, a tinta e amor.

Sabe bem, que mesmo no finalzinho, em nota de rodapé, da última das folhas, haja um comentário favorável à nossa prestação como actores principais  de todo o enredo

O reconhecimento, sim esse que sempre desejamos tratar por tu, ali, em poucas linhas. Verdade. Realidade.

Sim, sabe mesmo bem alguém achar que somos bons no que gostamos de fazer.

 

(E assim terminei hoje o estágio, com uns belos 18 valores e umas promessas no bolso...)

publicado às 01:07

Em qualquer versão...

por Marina Ricardo, em 28.01.12

... Continua a ser verdade e eu a A-M-A-R!

publicado às 00:07

Acolhe-la calmamente

por Marina Ricardo, em 27.01.12

Durante a vida aprendemos a ver a morte como aliada. Não a tememos menos, nem a odiamos em menor medida, apenas nos habituamos à ideia de ela estar sempre a rondar. Camuflada. Fantasmagórica.

Aqui e a li vemo-la espreitar. Na casa ao lado, do outro lado da rua, na outra cidade.

Desejamos, secretamente, que ela desapareça. Rezamos para que a vida se prolongue e esperamos….

Mas, à medida que envelhecemos, descobrimos que o melhor  é fazer um pacto com o inimigo.

Asseguramos-lhe que seremos dela, e em troca, ela deixa-nos viver. Com todos os riscos, sem medidas. Sem limite.

E na hora certa, ela tomar-nos-á em seus braços e partiremos juntas, como velhas amigas.

 

 

publicado às 00:27

Pág. 1/7



Mais sobre mim

foto do autor


Calendário

Janeiro 2012

D S T Q Q S S
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
293031

Fotogrfias que vou instagramando




Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2013
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2012
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2011
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.