Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]




E pronto...

por Marina Ricardo, em 21.10.12

São bem capazes de se lembrarem disto...

Pois bem, não fui. Não fui e queria ter ido. Neste tempo - quando escrevi o post acima, andava eu felizinha, mas depois a coisa passou-me. Na versão Marina Semi-deprimida, decidi que não iria. Há cerca de uma semana e meia mudei de ideias: Afinal não posso perder o concerto.

Aí, nas belheteiras, confirmam-me o meu maior medo: já não havia bilhetes.

E pronto, fiz a cama onde me deitei. Fica para a próxima.

 

 

publicado às 22:57

Cá de Dentro #18

por Marina Ricardo, em 21.10.12

É triste que as pessoas que mais no diziam, a quem mais vontade tínhamos de dizer tudo e nada, se transformem nas que a quem menos queremos falar…

 

publicado às 16:47

Banda Sonora

por Marina Ricardo, em 21.10.12

Há músicas e músicas, e de uma forma ou de outra a nossa vida gira sempre em torno delas.

Sejam as que nos acordam, com som de despertador, as que nos chamam, como toque de telemóvel, as que nos acompanham em vigem, quer no rádio quer no mp4, as que nos aquecem nas noites fias, as que o nosso coração canta.

Há uns tempos cheguei à conclusão que grande parte da massa que me compões é feita de músicas. De letras que me mudaram, de melodias que me embalaram.

Os meus clássicos, as minhas bandas sonoras. As que narram acontecimentos marcantes, as que choram feridas abertas.

Sou consumidora em doses industrias, viciada sem recuperação, em música. É uma das minhas paixões, sendo que sofro com o desgosto de não ter voz para cantar.

Porém, por mais voltas que a vida dê, por mais reviravoltas que eu dê, há sempre alguém que me leva de volta a casa, me põe no caminho enquanto me canta.

Patty Griffin. Nome desconhecido, que me chegou aos ouvidos dias antes de integrar o ensino superior e foi banda sonora de momentos menos bons, de felicidades eternas, de viagens mentais, de manhãs frias, de vidas vividas em episódios.

Com a sua doçura e aconchego, chegou onde muitos jamais chegarão – ao coração, estivesse ele gelado, quente, partido, cortado, inteiro, cansado ou esperançoso.

Leva-me sempre a casa, mesmo que me tenha perdido de mim e dos outros, e já não saiba onde viva….

 

publicado às 03:00


Mais sobre mim

foto do autor


Calendário

Outubro 2012

D S T Q Q S S
123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031

Fotografias que vou instagramando




Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2015
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2014
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2013
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2012
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2011
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.