de si

Achava ter medo de ficar só.

Ou de morrer.

Ou, talvez de ser infeliz.

Um mix doentio que lhe fazia arder o peito.

Um dia, ao acordar teve medo de si. Nunca tinha percebido o poder que tinha.

O poder de se deixar só. De morrer. De ser infeliz. Ou de ser tão feliz que lhe arda o peito. 

publicado por Marina Ricardo às 23:27 | link do post | comentar | Adicionar aos Favoritos (1)