prólogo

E, do nada as almas cruzam-se e as vidas fundem-se.

publicado por Marina Ricardo às 23:35 | link do post | comentar | Adicionar aos Favoritos (1)