Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Meias Verdades

por Marina Ricardo, em 16.08.12

Tudo o que aqui escrevo são meias verdades. São mentiras dos outros que adotei como verdades minhas. São a forma como perceciono o que me rodeia, o que me fere e o que me abraça, o que me dão, o que me tiram e o que eu vou buscar de volta.

Nada do que aqui se passa é absoluto ou fidedigno. Porque, bem no fundo, o ele que conhecem nem sempre é feio, assim como eu que leem nem sempre é bonito. E, nem sempre estou tão resolvida quanto a ele quanto gostaria – dependências são assim.

Ele, ao seguir em frente, nem sempre teve as portas abertas. Também levou pancadas e caiu, arranhando os joelhos e rasgando as calças novas que tanto tinha trabalhado para comprar. Assim como eu também fui obrigada a fazer voo rasteiro e raspei a cabeça pelo solo, sangrando e perdendo alguns dos meus fios de cabelo cor de ouro.

A diferença entre nós, nestes tempos difusos, são simples – eu limpei-lhe as ferias e fiz das tripas coração para o ajudar mesmo estando a quilómetros de distância e ele nem faz ideia de que me magoei. Viu  as manchas vermelhas no passeio, mas não percebeu que o sangue me pertencia.

No fundo, somos agora o que o destino nos tornou – dois estranhos, com duas vidas.

O que difere, é o facto de ele ter seguido em  frente, mudado de ares e ganhando novos amores para a agenda e agora par o coração e eu – parva!, alimentei fantasmas por demasiado tempo.

Dizem que a disponibilidade para amar é um estado de espirito. E, embora a minha mete esteja pronta há anos, o meu coração ressente-se e não aceita hospedar um novo dono.

Talvez eu seja como as personagens dos livros que tanto leio. Talvez me cure quando chegar o momento, quando alguém chegar, quando a vida quiser e eu deixar. E aí, aí, será para sempre. Sem dúvidas, dores ou ressentimentos, até que morte nos separe e depois dela.

 

publicado às 02:47


Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.



Mais sobre mim

foto do autor



Fotografias que vou instagramando




Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2021
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2020
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2019
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2018
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2017
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2016
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2015
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2014
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2013
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2012
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2011
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.