Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Crónicas noturnas sobre o estado atual...

por Marina Ricardo, em 18.10.12

Quando entramos para a universidades enchemos as bagagens de sonhos: sonhos de uma maior formação, de uma vida melhor, de um futuro risonho e de felicidade à mistura.

Porém, cedo percebemos que o curso nem sempre nos abençoa.

Comecemos por analisar um pós-licenciatura (tipo pós-parto, mas sem o bebé)  face à crise:

Depois de os nossos desgraçados pais derreterem as poupanças de uma vida na nossa formação – no meu caso não sinto que o estado português tenha feito grande sacrifício, esperamos, dois dias depois de ter o canudo (minto, o canudo custa 120 euros, por isso não o tenho. Tenho, por outro lado um certificado de 15 euros (o de 40 era demasiado caro!)) na mão arranjar emprego.

Ainda sem trabalho, semanas depois, e de certificado pomposo na mão, inscrevemos no centro de emprego. Esperamos que lá nos ajudem, e não nos transformem em mais um número do desemprego.

Desenganamo-nos quase logo: emprego não há, e cursos para licenciados acabaram, “pena não ter ficado só com o 12º”. Meses decorridos, percebemos que aquele lugar apinhado devia mudar de nome: Trocar o emprego pelo desemprego, uma vez que “centro de Desemprego” que serviria muito melhor.

Por outro lado, como não trabalhamos – nem agora, nem antes, não somos abrangidos por nenhum tipo de subsídio.

Aqueles dinheiros que a tanto sacrifício guardamos de todos os trabalhitos que fizemos enquanto estudantes, acabam enquanto o diabo esfrega um olho – e puf, foram-se.

Começamos a conciliar os pedidos de emprego na nossa área com os part-times nos supermercados e lojas.

Mas, para aí temos demasiada formação. Ora se até aí no faltava o requisito “experiência comprovada e superior a dois anos”, agora somos “demasiado estudados” para servir às mesas.

Pressionados pela necessidade de vida própria de autossustento, o dito cujo dinheiro, começa a fazer falta. Mas, não há raio de situo onde o passamos ir buscar, fazer de volta.

Procuramos e procuramos. Fazemos projetos, apresentamos auto-candidaturas e respondemos a anúncios, E Nada. Nada a mais, dignidade e autoestima a menos.

Pensamos em mentir no currículo, e nas entrevistas se tivermos a sorte de sermos chamados. Dizer que temos mais experiência para uns, afirmar a pés juntos que nunca entramos numa universidade para outros. Mas, os nossos pais não nos ensinaram a não mentir?

E assim o nosso país – um dia terra prometida, nos deixa abandonados e nos rouba, nos rouba a dignidade e raça que trabalhamos anos a fio para conseguir. Nos rouba os sonhos e tenta impingir-nos outros que não são nossos. O país que os nossos pais contribuíram – e contribuem, para formar, nos manda para fora….

Um dia, um dia passo-me da cabeça, faço as malas, vou embora e passo a chamar meu país a outro. Afinal papel e caneta há em todo o lado, não é?

 

publicado às 02:17


9 comentários

Imagem de perfil

De VeraPinto a 18.10.2012 às 13:59

Ainda desabei sobre esta realidade :(
Imagem de perfil

De Marina Ricardo a 18.10.2012 às 16:49

É a que temos.... :(
Imagem de perfil

De VeraPinto a 18.10.2012 às 16:59

O que me têm magoado muito, é que já basta a frustração que sentimos e depois ainda temos a família com atitudes que só nos fazem ir mais ao fundo. Mas eu falo disso depois. Neste momento, quero é um bocadinho de paz e organizar-me :)
Nada dura para sempre, nem a crise :)
Imagem de perfil

De Carolinaa a 18.10.2012 às 23:40

Isto exige um comentário ''pomposo'' que farei este amanhã ou este fim-de-semana.
Merece, merece.
Imagem de perfil

De Marina Ricardo a 19.10.2012 às 14:17

Oh.... :)
OK!

Beijinhos* <3
Imagem de perfil

De Carolinaa a 19.10.2012 às 23:24

''Pós parto mas sem o bebé'' - Excelente analogia!
120€?!? A sério? Esse diploma de 15€ não diz a mesma coisa? Então pra quê algo de 120€! É isso que me irrita entre tantas outras coisas. ''Andamos'' a estudar e a pagar as ditas propinas que custam os olhos da cara e como tu própria disseste ''derretem-se as poupanças de uma vida''. E ainda vamos pagar algo que a meu ver é nosso por direito, não comprámos nada! Estudamos para ter!
E é isto que cada vez mais se vê não querem alguém licenciado, antes ter só o 12º. E andámos nós a investir e a matar-nos a estudar para nada. Se temos o curso pedem experiência, como podemos sequer tê-la se ninguém nos/vos emprega?
E depois é isso, as poupanças que tanto trabalho nos deram a guardar voam pela mão fora num instante.
Penso exatamente o mesmo, sem tirar nem pôr. Ao mandar os jovens para fora quem perde é o país! Absolutamente.
Papel e caneta há, precisa-se também é fundo para não sair daqui com uma mão á frente e outra atrás. :S

Aí está o prometido. Isto revolta-me tanto e ainda nem chegou o meu tempo. Ai quando chegar, Jesus!

Beijinhos enormes <33
Imagem de perfil

De Marina Ricardo a 20.10.2012 às 19:17

Ora bem: antes de mais nada, OBRIGADA pela análise à cronica! :)

Respondendo:

120 € é o tal falado canudo - que é mesmo um canudo, ou seja, é um diploma dentro de um canudo de metal. O de 15 é o que te serve para fins "legais", para provares que tens o curso... Mas, p canudo - a coisa que se fala, eu cá não tenho....! ?!?
Pois! Devia ser gratuito, mas tudo se faz por dinheiro, certo?

Sim...! E muitos dos meus colegas já mentem no currículo.... dizem que têm apenas o 12º.... é triste, mas é verdade.... Eu ainda não o fiz - mais por uma questão de orgulho e consciência, mas talvez, num futuro próximo o tenha de fazer...

Sim.... Mas, enquanto houver papel e caneta, ou um teclado, parte da minha felicidade está concluída... por isso.... :)
Espero quando chegar a tua vez, tenhas mais sorte do que a minha "geração" está a ter! !!

Beijinhos<3 <3
Imagem de perfil

De Carolinaa a 21.10.2012 às 01:05

De nada ;)

Hum, muito bem! Oh infelizmente é verdade, o que neste país não se faz por dinheiro.

Isso é que é mesmo mau, dá vontade de rrancar os cabelos. Afinal, estudamos, pagamos e depois não há quem empregue por falta de experiência ou mesmo por não ter verba para pagar alguém com curso -.-

:D É isso que tanto aprecio em ti, sempre a ver o melhor lado mesmo das coisas más! Desde que haja papel e caneta, há felicidade!

Também eu, querida. Também eu. Mas por este andar terei mesmo de ir chamar meu país a outro!

Beijinhos enormes <33
Imagem de perfil

De Marina Ricardo a 21.10.2012 às 19:00

:)

Sim... é verdade!.... Um dia arranjo dinheiro para o dito cujo canudo :)

NEm estágios dão! Fará empregos!.... E o estado, paga parte do ordenado, nesta fase... mas, nem assim!

Tem de ser....! E com papel e caneta, ou algo semelhante, fico sempre satisfeita :)

Pode ser que não! Ainda tens uns anos... até lá, pode ser que a crise se mude! xD

Beijinhos <3 <3

Comentar post



Mais sobre mim

foto do autor


Calendário

Outubro 2012

D S T Q Q S S
123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031

Fotografias que vou instagramando




Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2015
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2014
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2013
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2012
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2011
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.