Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



perguntou ele #7

por Marina Ricardo, em 07.07.15

- Porque não escreves? – perguntou ele, poisando-lhe a mão quente no ombro.

Tira-me a mão do ombro, estás e enervar-me. Não quero escrever. Não quero me doa mais nada. Sabes lá o que está por detrás dos meus olhos. Sabes lá o que me diz a minha cabeça quando tenho a boca calada.

Larga-me. Deixa-me estar. Não me faças pensar. Não me digas para escrever. Já tenho o peito em chamas não quero sangrar-me mais. Não quero escrever. Não tenho mais nada para dizer.

Tira-me a mão do ombro, estás e enervar-me. Larga-me. Deixa-me estar. Não me faças pensar. Não quero escrever.

Sabes lá de mim….

- Mais logo, agora não quero – respondeu sacudindo-lhe  a mão com um abanão de ombro.

tumblr_m9j4styT1t1qd25w3o1_500.jpg

 

publicado às 23:20

perguntou ele #6

por Marina Ricardo, em 11.06.15

- O que tens? - perguntou ele poisando-lhe a mão no fundo das costas.

 

Não tenho nada. Acho que o problema é esse. Nem sei o que hei-de querer. Quero tudo. Mas, não sei como conseguir alguma coisa, quando mais conseguir tudo. Queria respirar melhor. Parece-me sempre que o ar é mais pesado para mim do que para os outros. Talvez seja. Nunca te vi a arfar enquanto corres. 

Estou cansada. Não me quero rir. E se eu me tornar essas pessoas com medo? Não me quero esforçar para ser feliz. Nunca vi ninguém fingir que é feliz. Isso não é vida, pois não?

 

- Não tenho nada... - respondeu ela, começando a andar muito depressa fazendo com que ele deixasse cair a mão ao lado do corpo.

tumblr_lzqhetYzrN1qdblieo1_500.jpg

publicado às 22:50

perguntou ele #5

por Marina Ricardo, em 22.01.14

- Tens frio? - perguntou ele ao saírem do carro.

 

Tenho. Tanto frio. Este gelo que sinto no peito é do tempo, ou sou eu? Esquece a pergunta. Só faço perguntas estúpidas. E tu, o que é que me tinhas perguntado? Ah! já sei, o frio! Sim. Tenho frio. Seria agradável que pusesses o teu braço sob os meu ombros. Ou então, que despisses o casaco e mo desses, como nos filmes. Tenho o peito gelado. E os pés. E as mãos... Mas, o meu coração ainda bate – no frio.

Já te disse que os teus olhos ficam mais bonitos a esta altura do dia? Será da luz? Acho que os teus olhos ficam bonitos a qualquer altura do dia... E os meus? Que tal te parecem?

 Esquece a pergunta. Só faço perguntas estúpidas. E tu, o que é que me tinhas perguntado? Ah! já sei, o frio! 

                                          

- Mais ou menos - mentiu. - Acho que ontem estava mais frio.

 

publicado às 23:57

perguntou ele #4

por Marina Ricardo, em 12.01.14

- Que estás a fazer?, perguntou ele , entrando na cozinha, no exato momento em que ela poisara pensadoramente a colher de pau no lava loiças.

 

Estou a pensar. E a cozinhar. Mais a pensar. Enquanto cozinho. Devíamos pintar o quarto. De amarelo. Ou azul. Cores vivas, é isso que nos faz falta.

Sinto falta. De mim. Às vezes de ti. Ou de nós. Não sei. Estava aqui a pensar. Que talvez. Oh. Deixa lá. 

Mas, onde te estacionai quando parei naquele semáforo intermitente? Estou a pensar. Enquanto cozinho. Mais a pensar que a cozinhar, mas, mesmo assim...

Gostas deste tapete? Este novo, que comprei para a cozinha? É azul. E amarelo. Cores vivas, não era isso que nos fazia falta?

 

- O jantar – respondeu, - acho que vais gostar. 

 

Pus sal e pimenta no tacho, acrescentei-lhe um sorriso - não será isso que nos faz falta?

 

 

publicado às 01:57

perguntou ele #3

por Marina Ricardo, em 16.12.13

- Queres que te leve? – perguntou ele através do vidro do carro. Olhou-a nos olhos, demasiado sério para a pergunta leve.

 

Já me levaste. Não me leves outra vez. Ou, talvez seja melhor me levares de vez. Mas, devolve-me a mim. Leva-me que estou cansada e já não aguento muito mais. 

Leva-me. De uma vez. Agora. 

Vamos os dois - levados. Um pelo outro. Nós, em vez de eu e tu. Já me levaste o coração. Leva-me o corpo! Leva-me que estou cansada...

 

- Não, deixa estar. Preciso de andar. Respirar... - respondeu, olhando para os pés, na esperança que ele não lhe visse os olhos mentirosos.

 

Desenho daqui

publicado às 00:50

perguntou ele #2

por Marina Ricardo, em 11.12.13

- Para onde estás a olhar? – perguntou, parando, quando se apercebeu que ela abrandava o passo. O tom de voz era calmo, mas preocupado, ou talvez ele estivesse apenas com frio…

 

Quero fechar os olhos. Doí-me a cabeça. Perdi-te? Olhei em frente e não te vi. Estás atrás de mim? Oh, estás ao lado, no lado de fora. Tenho os olhos pesados. Acho que não quero olhar. Há tantos caminhos. E, se me perco, mal desvie o olhar? Preciso de óculos. Ou olhos novos para Ver. Ou uma mente nova para esquecer. Olha as luzes. Gosto tanto de luzes. Mas, mesmo assim dói-me a cabeça. Quero fechar os olhos…

 

- Para lado nenhum. Podemos ir embora? Acho que estou cansada. – respondeu ela, voltando a andar, depois de soltar um suspiro.

 

publicado às 00:27

perguntou ele

por Marina Ricardo, em 24.09.13

- O que é que preocupa? – perguntou ele com um tom de voz mais alto do que o costume, tentando desperta-la.

 

Se vou lá chegar. Descobrir onde quero chegar. E se eu não quiser ir? Que o amor pare. Que o mar depereça. Não sei onde estão as meias de lã. Ser mais uma promessa que uma realidade. Pensar a mais, viver de menos. Morrer sem saber se me amas. Saíres sem eu dizer que te amo. Se o governo cai. Se o emprego dura. Perder-me. Não ver a saída. Perder os óculos. Que se deixem de fazer bolas de Berlim com creme. De estar a perder tempo. De chegar atrasada. De ter medo de me preocupar com o que os outros possam pensar. De ser como os outros. Que haja transito amanhã. Deixar de gostar de luz. E se eu me tornar essas pessoas com medo? E se eu estiver a desperdiçar-me. Que um ano seja muito tempo para se perder. Que aches que estou a perder tempo. Que eu perca a paciência. Que a beleza me deixe os olhos. Que veja a realidade. Que me esqueça. Que o jantar não esteja bom…

 

- Preocupa-me que chova amanhã - disse sem descolar os olhos das nuvens cinzentas que se aproximavam.

 

publicado às 00:57


Mais sobre mim

foto do autor


Calendário

Julho 2024

D S T Q Q S S
123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031

Fotografias que vou instagramando




Arquivo

  1. 2024
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2023
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2022
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2021
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2020
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2019
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2018
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2017
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2016
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2015
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2014
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2013
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2012
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2011
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.