confusão

 

Pontapeiam-me as entranhas – as letras que me caem da boca sem dizer.

Contorcem-se no estômago, compondo úlceras do que fica por escrever.

Tenho comido muitas histórias e dores em forma de palavras que não escrevo. Nódoas negras de aglomerados de palavras que perco de  mim para mim.

Ando a curar-me da vida para voltar para as letras que sempre me foram isso: vida.

publicado por Marina Ricardo às 00:40 | link do post | comentar | Adicionar aos Favoritos