o que aprendi ontem

O perdão apanha-nos sempre nas vielas mais estreitas e feias da vida. O perdão atira-nos ao chão, empurrando-nos pelas costas. O perdão nunca tem tempo e vem quase sempre atrasado. Arrebata-nos e faz-nos sentir pequenos. Curar feridas antigas doí. Perdoar doí muito. Doí tudo. Mas, depois, tudo acaba e somos leves outra vez. A vida nunca me para de surpreender. Nunca. E, esta será sempre a melhor parte de estar vivo.

publicado por Marina Ricardo às 16:57 | link do post | Adicionar aos Favoritos (2)