Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




oh tantas vezes

por Marina Ricardo, em 08.02.15

Há um dia, em todas as redações falhadas, em que ao olharmos para quem costumávamos amar, e deixamos de o ver como o sol. A sua imagem deixa de ter estar a três dimensões e passa a ser a preto e branco. Plana. Baça.

Sentimos o mundo vazio. Sentimo-nos vazios. Sentimos que tudo perdeu o sentido. Partidos, perdidos.

Às vezes, oh tantas vezes, este é um acontecimento unilateral e, o outro, não se apercebendo de que o amor acabou, continua ali, sem ver o quão esgotados estamos. Olha-nos nos olhos e não vê que estamos gelados.

Não sabemos o que lhe dizer, porque, na realidade, perdemos a vontade de lhe dizer o que quer que seja. Não conseguimos assimilar sequer o facto de que, ainda, há uns meses ele nos ser tudo. 

Não lhe temos ódio, nem amor, nem amizade, nem indiferença. Só cansaço. Só desilusão e um espaço vazio onde antes estava o amor que por ele nutríamos. A culpa ocupa-nos os espaços vagos, agora. Atribuímos-lhe culpas. A ele que deixou de nos ver, que deixou de nos querer como queria, que nos largou, sem se dar conta. A culpa, a nossa, por não sabermos alimentar uma relação condenada.

Afastamo-nos. O mundo gira e as semanas passam. A calma, a eterna aliada do tempo, amaina-nos a mente e o coração. O outro segue em frente, sem se dar conta de que ficamos algures para trás, perdidos no enredo de uma relação que terminou sem ele se dar conta. 

As coisas mudam. Só que, às vezes, somos os únicos que nos apercebemos das mudanças.

publicado às 19:07


1 comentário

Imagem de perfil

De Rita a 09.02.2015 às 12:05

obrigada pelo teu comentário...
seremos sempre os únicos a notar a mudança mas não a mudar....
está tudo bem por estes lados, espero que também esteja tudo bem contigo
beijo

Comentar post



Mais sobre mim

foto do autor


Calendário

Fevereiro 2015

D S T Q Q S S
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728

Fotografias que vou instagramando




Arquivo

  1. 2024
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2023
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2022
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2021
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2020
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2019
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2018
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2017
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2016
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2015
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2014
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2013
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2012
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2011
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.