Paris #2

Curo-me sempre a ir. Por minto que voltar me consuma.

Curam-me sempre as luzes de Paris. Os folhados. A familia e a torre.

Não me curo sempre em Paris, mas Paris cura-me sempre.

tags:
publicado por Marina Ricardo às 23:16 | link do post | comentar | Adicionar aos Favoritos