Serena, em sobressalto

As luzes da rua cegam-lhe os lhos enquanto o carro segue sereno pela rua deserta.

Queria poisar as pestanas longas nas bochechas redondas, tão murchas de sorrisos quanto de vontade de rir.

Queria dormir. Acordar e dormir outra vez. Sem pausas, até o corpo e a mente se voltarem a encontrar longe daquela dormência que lhe toldava os ossos.

Queria voltar. Sem ter que estar sempre a partir. Queria começar de novo. Sozinha, sem nunca estar só.

Queria ouvir a música dos outros e dançar sempre ao som das suas baladas.

As luzes batem-lhe nos olhos. Iluminam-lhe da réstia de esperança que lhe resta por detrás deles. Segue viagem, rua fora. Serena. Em sobressalto.

publicado por Marina Ricardo às 23:17 | link do post | Adicionar aos Favoritos (1)