Sábado, 06.10.18

ponto.de.situação.

Apanhei uma virose. Ou então tive uma explosão de cansaço que nada teve a ver com bactérias e vírus (talvez seja eu o minha própria maleita).

Acordei, qual cana ao vento, cheia de tremores, suores, vômitos e dores musculares. 

Eu sei...

Sei tudo. Penso muito sobre tudo o que me incomoda. Escolhi não escrever sobre, mas continuo a pensar.

Sei que trabalho demais. Sei que me comprometo a fazer demasiadas coisas. Que me envolvo demasiado. Que quero fazer tudo. Que expando sempre os meus limites. Mais um bocadinho. Mais um bocadinho. Só mais um bocadinho até o bocadinhos serem a anos-luz do meu limite. E, mesmo assim, arrasto-me só mais um bocadinho.

Tenho abdicado muito de mim. Tenho abdicado de tempo: pessoal familiar. Tenho deixado passar o tempo para relações, o meu tempo. 

Deixei de escrever. Escrever é viver duas vezes. E, não estou a conseguir processar toda essa informação neste momento.

Há uns meses comecei a sentir-me mais confortável na minha vida. Mais resolvida. Principalmente no que ao trabalho diz respeito. Mais calma. Mais em paz.

Mas, há uma revolta que não adormece, uma chama que me percorre as veias, que me queima as entranhas.

Sinto-me exausta. Sinto-me arder.

 

publicado por Marina Ricardo às 22:17 | link do post | comentar | Adicionar aos Favoritos (2)
Segunda-feira, 17.09.18

É isto

 

Screenshot_20180916-144112~2.png

 

publicado por Marina Ricardo às 22:49 | link do post | comentar | Adicionar aos Favoritos
Sexta-feira, 07.09.18

mar

IMG_20180902_232145_371.jpg

 

publicado por Marina Ricardo às 22:42 | link do post | comentar | Adicionar aos Favoritos
Segunda-feira, 20.08.18

Foi um belo dia para ficar

Screenshot_20180827-020633~2.png

 

publicado por Marina Ricardo às 14:07 | link do post | comentar | Adicionar aos Favoritos
Domingo, 29.07.18

É isto

Durante o ultimo ano afastei-me de muitas coisas que, tendencialmente, e por história, me faziam feliz.

Escrever foi a mais berrante.

Nao sei se parei por opção, ou se o meu corpo foi forçado, por qualquer forca divina. Escrever obriga-me a pensar. A sentir. Escrever é sentir duas vezes. E, quem anda a fugir nem uma vez quer sentir, fará duas.

Isto de ser adulto, de agir como tal, de sentir como tal é extremamente dificil.

Ser adulto no trabalho, ser forte para travarmos lutas que nen sabemos onde fomos buscar. Lidar com as minhas próprias expectativas foi o pior: com o "que merda fiz eu com a minha vida". 

Os meus supostos consumiram-me tempo demais. 

 

Esta é a primeira vez que me sinto mulher. Mulher à séria. Carreira incluída. Com força para o ser.

Sinto-me em paz. E, caraças, não me sentia assim há demasiado tempo.

publicado por Marina Ricardo às 22:00 | link do post | comentar | Adicionar aos Favoritos (1)
Terça-feira, 10.07.18

Terapia intensiva

nita_ricardo_BlMADJ8ny1s.jpg

 

publicado por Marina Ricardo às 22:30 | link do post | comentar | Adicionar aos Favoritos (1)
Domingo, 01.07.18

Desalmar

Há quem vai a concertos unicamente para ouvir música. Para ver os cantores que gosta. Para tirar umas fotos giras. Para se divertir.

Eu vou a concertos para me desalmar.

Para soltar a alma velha, gritar, cantar, chorar e cobrir-me com uma alma nova.

Vou a concertos desalmar-me para me voltar a almar. Mais viva. Mais vivida. Mais leve. Mais perto de mim. Mais eu - de alma nova.

publicado por Marina Ricardo às 17:07 | link do post | comentar | Adicionar aos Favoritos (1)
Sexta-feira, 11.05.18

Isto.

 

publicado por Marina Ricardo às 18:07 | link do post | comentar | Adicionar aos Favoritos (1)
Sexta-feira, 13.04.18

Heart

 

publicado por Marina Ricardo às 13:27 | link do post | comentar | Adicionar aos Favoritos (1)
Segunda-feira, 26.03.18

medrosa. merdosa.

Deixei de escrever no dia em que fiquei amarga. Em que a minha escrita, tão crua, tao coração, tao visceral, tao selvagem, ficou seca e dura.
Medrosa. Merdosa.
Não escrevo porque dói. Dói-me. Porque mata. Porque não consigo escrever. Porque me rasga, me dilacera, me consome, me amarga.
No meu peito, tão cheio de letras e de mundo, morrem as historias que não conto. Que me morrem. Que me matam.

publicado por Marina Ricardo às 22:40 | link do post | comentar | Adicionar aos Favoritos (2)

mais sobre mim

pesquisar neste blog

 

Outubro 2018

D
S
T
Q
Q
S
S
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
18
19
20
21
24
25
26
27
28
29
30
31

posts recentes

tags

Fotografias que vou instagramando

Crónica Semanal

Brianne - Fanfic

Contador