Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



é isto

por Marina Ricardo, em 12.09.15

Estou em Nazaré. Viemos tarde, mas, viemos.

Tenho o coração leve como uma pena. Carregava tanto peso nos últimos tempos que já nem sabia como era ser assim: feliz. Leve.

Tags:

publicado às 18:37

the light at the end of the tunnel

por Marina Ricardo, em 11.09.15

11373809_768432706601117_1549356767_n.jpg

publicado às 19:07

Keep Calm

por Marina Ricardo, em 26.02.13

O Round II começa sexta e tem seis meses de duração.

publicado às 18:27

I just have a lot of feelings #4

por Marina Ricardo, em 16.12.12

publicado às 00:07

A família cresceu...!

por Marina Ricardo, em 14.11.12

Somos 100 - OBRIGADA! MUITO OBRIGADA!

 

publicado às 14:47

Sobre o "E Cá Está Mais Uma # 23"

por Marina Ricardo, em 22.10.12

Ontem escrevi a crónica que mais sucesso fez desde que comecei com o “Se ela diz”.

 Recebi mensagens de caloiros, ex-colegas e do tema himself – um professor.

Sabia que seria arriscado escrever sobre o dito cujo professor, mas este é um luxo que só agora me pude dar, agora que deixei de ser aluna.

Depois de lhe ter rogado pragas, pragas, pragas e mais pargas, de ele me ter cortado as penas vezes e vezes sem conta, foi a pessoa que mais me elogiou na (épica!) defesa de relatório.

E foi aí, nesse momento, que o passei a compreender. Que percebi que a sua “maldade” aparente não passava de exigência desmedida  e confiança cega nas capacidades de insistência e persuasão que eu – mesmo sem saber, tinha.

Mereceu a crónica! E ao que parece, gostou da mesma.

Sabe bem. Muito bem.

 

publicado às 22:47

Já vos disse que fiz cadeiras de RP e marketing?

por Marina Ricardo, em 18.10.12

Ó pá eram estes dois que me levavam à loucura e eu deixava o jornalismo! Trocava tudo por LA, e o jornalismo pelo RP!

 

publicado às 23:37

Ora bem… ontem prometi uma explicação, depois desprometi-a, tal era o choque, a excitação e as dores de cabeça de quem, no meio da aventura, a perdeu (a cabeça, claro está!).

Mas, hoje, depois de uma noite – mais ou menos, bem dormida e de um toque de telemóvel novo, posso contar-vos mais calmamente tudo o que aconteceu antes do tão aclamado vídeo da minha vida.

Em linhas gerais, em todos os concertos da Stronger World Tour, que é como quem diz, esta última digressão da Kelly Clarkson, é pedido aos fãs que escolham uma música de outro cantor para ela interpretar em palco. Este fan request é feito através das redes sociais – twitter e facebook.

Sempre deliciada com novos covers, nunca me tinha ocorrido pedir uma música para mim. Dizia-o de mim para comigo: “ela devia cantar isto”, mal ouvia algo na rádio, na internet ou me lembrava de alguma BOA música mas, não fazia nada para a ver canta-la.

Até que, há cerca de duas semanas, decidi criar um (abençoado!!) twitter. Se primeiro o achava desnecessário, passado umas horas já me tinha apaixonado por tal rede social.

Fã ávida como sou, a primeiro pessoa a quem segui, foi, claro está Kelly Brianne Clarkson.

Depois, numa tarde qualquer – depois da minha dose diária de envio de currículos, decidi – por pura diversão, enviar-lhe o tal fan request. Sem nada esperar, lá escrevi que gostava de a ver cantar “Remind me” (música que já aqui falei, do Brand Presley e da Carrie Underwood).

Nesse concerto, a Kelly cantou a pedido de um outro fã. E eu, sem me lembrar do meu próprio pedido, deliciei-me com o novo cover.

Mas, como não pago mais por isso, lá mandei mais um fan request para o concerto de ontem, dia 5: o mesmo. Mas, quem manda um, manda dois ou três, de rajada, pedi Blown Away (Carrie Underwood) e I was Here (Beyoncé).

E, muito sinceramente, jamais na minha vida a imaginei a escolher o meu pedido. Deve receber tweets de fãs aos milhões, então, porquê o meu? Porque se daria ao trabalho de o ler? De o encontrar no meio de tantos (sim, é a Kelly quem escolhe a música que vai cantar)? NUNCA, jamais, em tempo algum pensei que seria a escolhida. Nem mesmo quendo este tweet surgiu. Apenas pensei: “oh que giro, mais alguém sugeriu a mesma musica que eu! Quero tanto ouvir!”.

E mais nada. Passei o dia fora de casa, em família, sem imaginar por que bocas andava o meu nome por aquelas horas.

Mas, foi à noite, quando pesquisei à procura da musica, que no meio de palavras imensas ouvi o meu nome. Senti gelo nas veias. Gelei por completo, pensando ter ouvido mal. Não podia ser! Era impossível.

Então, ouvi de novo. E de novo e de novo. Arrepie-me e sentei-me. Sem reação, num misto de alegria inexplicável e choque. Num transe que me transportava até à Austrália, a Perth, onde Kelly Clarkson dizia o meu nome.

Durante as horas que se seguiram, ri e chorei ao mesmo tempo. Fiz coisas parvas e disse-as em igual dose, sem me importar com tal facto.

Sei que, graças à minha irmã, há um vídeo ridículo meu telemóvel, onde, de mão na cara, meio riso, meio choro, à gargalhada, onde digo coisas sem sentido. Coisa parva, parva, parva, mas feliz, feliz, feliz.

Porque não é todos os dias que estas coisas acontecem. Kelly Clarkson, vencedora do American Idol, banda sonora da minha vida, fonte de inspiração, cuja imaculada face descansa sob a forma de capa de CD na minha prateleira disse o meu nome e dedicou-me uma música, uma das minhas favoritas, depois de ler um tweet meu para a sua pessoa.

São momentos irreais que se passam na real vida de alguém, aquele momento estranho e especial em que a pessoa que tu segues afincadamente, ao longo dos anos, nota a tua existência, te chama pelo nome, assim, simplesmente e de forma natural, como se falasse de um amigo de loga data.

E sim, 10 anos depois, e pensando eu que não a podia amar mais, enganei-me. Ontem ela aumentou o meu coração, e consequentemente o meu ego.

Agora, até logo, que vou ali ouvi-la chamar por mim, uma e outra vez, arrepiando-me e duvidando da verdade a cada vez que o faz!!

 

publicado às 15:47

Fica prometido!!

por Marina Ricardo, em 06.10.12

Amanhã, amanhã conto tudo. 

Por  hoje, ainda estamos assim:

 

publicado às 01:47

Quero muitooooooooooooooooooooo contar-vos o que acabou de acontecer, mas estou mergulhada numa onda de sentimentos contraditórios todos eles Felizes, claro está!

Ainda hoje prometo um texto organizado e claro onde vos conto tudo!

Por agora deixo-vos o vídeo. O vídeo que mudou a minha vida e me tornou mais feliz.

O vídeo em que a minha cantora favorita, para além de dizer o meu nome, me dedica uma das minhas músicas favoritas…

 

Oiçam a partir dos 55 segundos.

publicado às 22:37


Mais sobre mim

foto do autor


Calendário

Junho 2021

D S T Q Q S S
12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
27282930

Fotografias que vou instagramando




Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2015
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2014
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2013
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2012
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2011
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.