volume

Não são poemas, o que escrevo.
São os recantos e regaços da minha alma. Nus e frios. Quentes. Acolhedores. Sós. Silenciosos. Do mais ruidoso que se tem visto.

publicado por Marina Ricardo às 01:30 | link do post | comentar | Adicionar aos Favoritos (1)